Quisemos mostrar-lhe alguns cuidados a ter com o seu animal de estimação durante esta Primavera. O bom tempo e as cores vivas convidam ao contacto com a natureza, mas porque sabemos como eles são curiosos e por vezes imprudentes, não podemos esquecer os perigos desta temporada e como os prevenir. 

 

1. Atchim!

Se pensa que somos só nós quem tem alergias de Primavera, desengane-se! O seu patudo também pode ser alérgico aos pólenes, plantas, ácaros e ao pó. Estas reações alérgicas podem resultar em espirros, tosse, comichões, vermelhidão da pele ou dos olhos, corrimento ocular ou nasal. Estes episódios podem ser esporádicos e apenas sazonais, ou fazerem parte de um problema mais sério como a Dermatite Atópica Canina. 

Em qualquer um dos casos, aconselhe-se sempre com um dos nossos veterinários pois existe medicação específica que poderá ajudar a combater este inimigo invisível. 

 

2. Praganas 

As praganas (nome dado a partículas vegetais, finas e pontiagudas, como as espigas) devem mantê-lo alerta, pois apesar de pequenas podem causar problemas muito sérios ao seu animal de estimação. Surgem em qualquer campo ou parque, em zonas rurais ou mais urbanas. Desprendem-se das plantas e podem instalar-se em zonas sensíveis como dentro dos ouvidos, no nariz, nos olhos ou ainda espetar-se na pele. Nesses casos, e se não forem detetadas a tempo, podem ser causas de otite, rinite, conjuntivite, criar abcessos na pele ou inclusivamente migrar pelo corpo provocando danos à sua passagem. 

É portanto muito importante que após o passeio verifique com atenção o pelo do seu animal (principalmente se tiver pelo comprido) e esteja atento ao seu comportamento. Espirros em salva, sangue no nariz, esfregar o focinho no chão, cabeça de lado ou lacrimejar, são dos sinais mais comuns e devem levá-lo a contactar o seu veterinário para uma avaliação meticulosa. 


3. Insetos

O aumento da temperatura e da luz solar ditam o aparecimento súbito e em massa destes pequeninos, que aparentemente inofensivos podem colocar o seu melhor amigo em sarilhos. Uma picada de vespa, abelha, besouro, formiga … dará certamente origem a uma reação alérgica local com inchaço nítido da região e comichão. Uma vez detetados estes sinais é fundamental que o veterinário avalie o seu cão ou gato assim que possível. Isto porque, para além do desconforto óbvio, há o risco (raro) de ocorrer uma reação anafilática que comprometa a respiração do animal. 

 

4. Parasitas 

Também as pulgas, carraças e piolhos proliferam com o aumento de temperatura. Por serem parasitas de várias espécies animais e mesmo do homem, são causadores de infestações e causam problemas de pele como por exemplo a Dermatite Alérgica à Picada da Pulga. Para além disso, são eles próprios vetores de inúmeras outras doenças potencialmente graves como a Febre da Carraça ou a Micoplasmose. 

Neste caso, “a prevenção é o melhor remédio” e com os Veterinários Sobre Rodas ao Domicílio não há porquê falhar! São muitas e eficazes as opções de desparasitação ao domicílio. Fale connosco para encontrarmos a melhor proteção para o seu animal. 

 

5. Leishmaniose

Com certeza já ouviu falar desta doença que todos os anos atinge cães, gatos e pessoas em Portugal. Não existe cura parasitológica para a Leishmaniose Canina nem para a Leishmaniose Felina, e sendo uma doença grave e potencialmente mortal, deve ser combatida através da prevenção. É neste tempo mais quente (entre Abril e Outubro) que o risco de transmissão do parasita é maior. Por isso não espere e proteja o seu animal! 

 

6. Passeios mais frequentes

Melhor tempo é sinónimo de um aumento de passeios e idas ao parque e à praia, o que é fantástico para si e para o seu cão. Significa muitas vezes mais correria e brincadeiras, mas atenção! Existem maiores chances do seu cão se perder. É por isso fundamental garantir que tem o microchip para animais com toda a informação atualizada e que este está corretamente inserido numa das bases de dados de identificação de animais de companhia. Cuidado ainda com as brincadeiras com cães cujo temperamento lhe seja desconhecido, pois podem por vezes resultar em mordeduras. 

 

7. O meio aquático 

Idas ao mar, lagos e piscinas vão certamente fazer parte desta Primavera, mas recorde-se que estes ambientes aquáticos podem predispor ao aparecimento de algumas doenças de pele nos cães, como dermatites, alergias ou otites. Recomendamos que realize sempre um banho de água doce com um shampoo apropriado, após um destes eventos, e que seque impecavelmente bem todo o pelo, deixando o seu cão completamente seco, não esquecendo os ouvidos. 

 

8. Receber a Primavera em sua casa

Esta é uma ótima altura para fazer bricolage, pinturas, reorganizar a casa, cuidar do jardim, realizar limpezas a fundo … e os seus patudos podem fazer parte desta diversão! Mas tenha atenção, pois a maioria dos produtos químicos são tóxicos para os animais, e porque são tão brincalhões podem acidentalmente ingeri-los causando intoxicações, ou provocar irritação ou queimaduras em caso de contacto. Mantenha-os sempre em segurança, colocando os objetos perigosos longe do seu alcance. 

 

9. Viagens de carro 

As viagens de carro podem ser um verdadeiro drama. Desde as acomodações, ao chamado “enjoo dos transportes” muito comum principalmente em cães jovens. O mais importante é que tenha uma viagem agradável e em segurança. Para isso saiba que deverá informar-se sobre a legislação referente ao transporte de animais em veículos e que pode pedir ajuda aos Veterinários Sobre Rodas ao Domicílio sobre dicas de como ajudar o seu animal a familiarizar-se com o carro, e ainda para a prescrição de medicamentos próprios para evitar aqueles vómitos e enjoos tão indesejados. 

 

10. “Quero levar o meu gato a passear à trela”

Será possível um gato passear à trela? Apesar de ser uma ideia ousada, a resposta é sim! E muitos tutores vêm a Primavera como a altura ideal para o experimentar. Mas é necessário ser cauteloso, programar com antecedência algumas atividades e ter em atenção aspetos como: vacinas específicas necessárias, proteção contra parasitas, esterilização, microchip e método de identificação, tipo de coleira e trela, comportamento do próprio animal, presença de outros animais, treino coreto, etc. Porque afinal de contas … gato é gato!

 

Agora que já sabe os cuidados a ter, proteja o seu animal de estimação nesta Primavera e conte connosco para o ajudar!