Marque Connosco
Veterinários Sobre Rodas
A chegada de um novo gatinho a casa

Por muito emocionante que possa parecer ter um gatinho, devemos ponderar com cautela esta decisão. Temos condições para o acolher? Conseguimos proporcionar-lhe com satisfação as necessidades básicas da espécie? Se sim, então vamos em frente! Seja adulto ou bebé, vamos tentar que a adaptação seja o menos stressante possível!

Ao contrário dos cães, que por norma tem mais facilidade em se adaptar, com os gatos temos de ter mais paciência. São animais de hábitos, o que faz com que possa demorar algumas semanas a sentir-se confortável na nova casa.

Vamos dar várias dicas para fazer com que a adaptação deste novo peludo seja o mais suave e calma possível.

Gato em Casa

O que preparar antes da chegada do gatinho?

  • Local seguro e calmo – deve providenciar um local (quarto, sala) que seja seguro e calmo para o novo gato. Vai ser o local que vai passar os primeiros tempos.
  • Comedouro e bebedouro – devem ser de aço inoxidável ou cerâmica, facilmente laváveis. Devem ficar ligeiramente afastados um do outro. O bebedouro, se possível, deverá ser de fonte (água corrente) pois estes patudos adoram água em movimento.
  • Caixa de areia – deve ser colocada o mais afastada possível da comida e da água, numa zona resguardada, mas de fácil acesso. A areia deve ser de sílica aglomerante sem cheiro.
  • Ração – deverá ser de boa qualidade, adequada a idade do animal ou existência de patologia. Pode ser colocada a disposição 24 horas, se o gato não engordar. Se vai trocar a ração que vinha do criador, gatil ou associação faço-o apenas uma semana após a entrada do gato em casa.
  • Cama – deverá ser macia e lavável. Coloque-a dentro de um cesto, caixa pequena ou canto aconchegante ou com sol. Por norma, locais altos resultam melhor pois estes patudos gostam de controlar tudo desde cima. Contudo, vai ter de deixar que o seu gato escolha o local que gosta e pode tentar mudar a cama para aí ou simplesmente adicionar outra.
  • Arranhador – além de afiar as unhas e exercitarem, ainda servem como local de marcação de território. Deve ser colocado num sítio acessível e não escondido, ser alto o suficiente para o gato se esticar completamente e ser estável para não se mover quando saltar para cima dele. Se não disponibilizar um arranhador pode acabar com o sofá, cortinas ou moveis estragados. Nos primeiros dias evite repreender o animal se usar moveis ou sofás para arranhar, pois ainda está em processo de adaptação e as punições são ineficazes além de piorar o seu relacionamento com o gato.
  • Brinquedos – devem ter movimento porque estes felinos são predadores e como tal, o movimento é muito importante. Não usa partes do corpo para brincar com o animal pois ganhará o hábito de o fazer e pode magoar sem querer.
  • Proteção de janelas – por muito equilibrista que o nosso gato seja, ele pode-se distrair com alguma coisa ou desequilibrar-se e cair. Para impedir que isso aconteça devemos colocar malha de segurança nas janelas (rede mosquiteira não é suficientemente forte). Além disto, mesmo que esteja num andar baixo ou ao nível do chão impede idas a rua indesejáveis.
  • Enriquecimento ambiental – além dos brinquedos, devemos manter o nosso animal ocupado. Estímulos visuais ou olfativos são formas de manter o patudo divertido. Catnip ou estruturas especificas para gatos são exemplos disso. Crie sessões de jogos com o seu gato, além de o exercitar ainda estreita os laços que tem consigo.
  • Transportadora – seja por idas ao veterinário, transporte ou por mudanças, deve ter sempre uma transportadora para o seu peludo. Esta deve ser mantida sempre ao alcance dele para que não associe a transportadora a momentos negativos e depois seja difícil de o colocar ou manter dentro. Deixe a transportadora no local de descanso e coloque dentro mantas e brinquedos. Pode, de vez enquanto, colocar dentro prémios alimentares para permitir uma associação positiva a este objeto.
  • Difusor elétrico de feromonas – é uma boa ferramenta para colocar no local que o gato vai ficar inicialmente. Permite que este se sinta melhor e mais calmo.
Gatinho em casa

Tudo pronto. E agora?

Antes de trazer o seu gato para casa, e se possível, leve um cobertor ou uma roupa sua para o local onde o gato ainda está. Deixe com ele durante uns dias e quando for buscar o animal traga de volta e junto com ele na transportadora. Quando chegar a casa coloque essa mesma peça no local de descanso. Vai fazer com que o gato se sinta mais confortável.

O gato acabou de chegar. Agora começa a sua paciência. Deixe o gato sozinho no local que preparou para ele durante 1 hora. Após esse tempo, entre na divisão e espere que o animal vá ter consigo. Se ele se esconder não o force. Sente-se e vá falando com ele calmamente. Repita este processo até o gato se sentir mais confortável. Estando a comer e a usar a caixa de areia é porque está tudo bem, só precisa de tempo para se adaptar a si e ao ambiente. Pode também dar recompensas deliciosas ou tentar iniciar brincadeiras, mas nunca o force a ir até si.

 

Se adotou um gatinho bebé então não o deve deixar sozinho, a não ser quando estiver já instalado. Nos primeiros minutos deixe-o explorar toda a área que vai ficar nas primeiras semanas e depois mostra o sítio da comida e água, e a caixa de areia. Os gatos, por norma, instintivamente vão usar a caixa de areia.

 

Quando já está relaxado e confiante consigo apresente o resto da família. Maior atenção com as crianças, que se devem manter o mais calmas possível e devem ser ensinadas a não apertar, puxar ou agarrar demasiado o novo membro. Em especial os gatos bebés porque são muito mais frágeis.

Se não tem mais animais e o gato lhe parece à vontade naquele local e com a família, deixe-o explorar novas áreas. Facilite o acesso gradualmente a cada divisão sem nunca fechar a de origem que é onde ele se sente melhor e irá fugir se se sentir ameaçado. A tarefa será mais fácil se usar os difusores de hormonas de bem estar ou colocar mantas já usadas pelo gato, dando uma sensação de segurança.

Deve falar com o seu médico-veterinário para perceber o que é necessário fazer ao seu novo patudo. Gatos pequenos por norma adaptam-se melhor por isso a ida ao veterinário pode ser feita poucos dias após a chegada dele. No caso do gato adulto, para tentar diminuir o stress deve deixá-lo adaptar-se pelo menos a si e ao ambiente inicial para o levar ao veterinário.

A manipulação necessária para examinar um animal pode ser stressante para este e perigoso para o profissional e para o tutor que podem sair arranhados ou mordidos. Como os gatos não gostam de mudar de hábitos e andar de carro pode ser um sofrimento, consultas ao domicilio pode ser uma solução bastante viável. Em gatos bebes é particularmente importante terem um seguimento médico- veterinário desde cedo.

Gato novo em casa

Posso deixar o meu gato ir à rua?

Se realmente quer deixar o seu gato ir à rua deve deixá-lo primeiro adaptar-se convenientemente à casa e à família. De seguida ter a certeza que está com as vacinas todas em dia, e idealmente, castrado para diminuir a probabilidade de uma ninhada indesejada ou ferimentos de lutas com outros gatos.

Porém, se puder evitar contacto com outros animais, e o manter no exterior mas de forma controlada, será o ideal. Gatos adaptam-se bem à vida dentro de casa desde que devidamente estimulados. Idas a rua podem resultar em ferimentos, doenças bacterianas e viricas, entre elas a leucemia felina e o vírus da imunodeficiência felina. Duas doenças que não são tratáveis e prejudicam em muito a saúde do seu peludo.

Ficou com dúvidas? Acabou de adotar um patudo e não sabe o que tem de fazer? Ligue-nos! Vamos ao conforto de sua casa!

Artigos Relacionados

Serviços de Veterinário em Casa

Serviços de SPA Sobre Rodas

Quero marcar um banho ou tosquia ao domicílio
Quero marcar um serviço de Creche Canina
Quero marcar uma consulta em Clínica

Conseguiram tratar da minha pequenina que tinha muito medo, e estando em casa está no seu habitat natural!

Fábio Teixeira
ver vídeo
Fábio Teixeira

Excelente consulta ! A gata precisava de ser vacinada e resolvi o meu problema !

Margarida Franco
ver vídeo
Margarida Franco

Onde atuamos

Oferecemos um serviço veterinário profissional para o seu animal de estimação, no seu ambiente natural: a sua própria casa.
Deslocamo-nos em toda a área de:

Grande Lisboa
Ericeira
Mafra
Margem Sul
Setúbal
Carregado
Samora Correia
Benavente
Grande Porto
Vila Nova de Gaia
Matosinhos
Maia
Póvoa de Varzim
Vila do Conde
Braga
Guimarães
Famalicão
Aveiro
Ovar
Oliveira de Azemeis
SJ Madeira
Lagos
Portimão
Silves
Armação de Pera
Albufeira
Quarteira
Loulé
Faro
Olhão
São Brás de Alportel
Tavira
Algoz
Veterinário ao Domicílio

Fale connosco, nós vamos até si!

Usufrua dos nossos serviços veterinários no conforto da sua casa. Conheça os nossos serviços e marque já!