Marque Connosco
Veterinários Sobre Rodas
Dermatofitose em cães e gatos

A dermatofitose em cães e gatos é uma doença causada por um fungo, que se alimenta de tecidos queratinizados como a epiderme (camada mais externa da pele), pelos e unhas. Os 3 tipos de fungos mais comuns são:

  • Microsporum canis (o mais comum, tanto em cães como em gatos);
  • Tricophyton mentagrophytese;
  • Microsporum gypseum.

É uma patologia com um potencial zoonótico e extremamente contagiosa. Normalmente os humanos que são acometidos só apresentam sinais da doença quando estão imunodeprimidos.

Os animais que mais são afetados pela dermatofitose são os mais jovens, os imunodeprimidos, ou os pacientes com outras doenças subjacentes (FIV ou FeLV no caso dos gatos e Leishmaniose no caso dos cães, por exemplo).

Os gatos da raça Persa e os cães da raça Yorkshire são predisposto a doença. Gatos de pelo comprido, como tem uma maior dificuldade em remover os esporos do fungo durante a higiene, são mais acometidos por esta patologia. Não existe qualquer predisposição sexual.

Dermatofitose em cães

Transmissão da dermatofitose em cães e gatos

A dermatofitose é uma doença altamente contagiosa por contato direto de animal para animal e de animal para humano. É possível encontrar os fungos em camas, pentes, escovas, por isso torna-se crucial uma boa higiene caso coabite com um animal com esta patologia. Devido a densidade populacional, e aliado ao elevado contágio desta doença, os canis e gatis devem ter um controle e higiene mais rigoroso.

 

Sintomas da dermatofitose em cães e gatos

  • Lesões circulares de alopecia (focais ou multifocais) com um halo vermelho de inflamação;
  • Hiperpigmentação no local das falhas de pelo;
  • Pode ou não apresentar prurido;
  • Descamação da pele;
  • Gatos jovens: descamação e alopecia a volta do focinho, orelhas e membros anteriores.

Em casos mais avançados da doença, onde as bactérias oportunistas já se instalaram pode haver exsudação da pele, pústulas e formação de crostas.

 

Diagnóstico da dermatofitose em cães e gatos

O exame físico e anamnese já ajudam bastante a direcionar o diagnóstico da doença. Porém, o diagnóstico definitivo é feito através de uma cultura de fungos, onde é retirado pelo das lesões, colocado num meio de cultura enriquecido e observado o crescimento. Caso haja fungos, estes crescem, não havendo fungos não há crescimento e estaremos então na presença de outra patologia.

Dermatofitose em gatos

Tratamento para a dermatofitose em cães e gatos

Se o animal for imunodeprimido ou com outras doenças concomitantes deverá ser realizado o tratamento/controlo das mesmas. Assim, o tratamento da dermatofitose será muito mais eficaz. Uma afeção com manifestação local o tratamento pode ser tópico, porém se as lesões forem difusas recorre-se ao tratamento sistémico.

Os tratamentos tópicos (pode ser necessário tosquiar o animal) são à base de banhos com champôs antifúngicos ou cremes antifúngicos. O tratamento sistémico é feito pela administração de uma medicação que atua nos folículos pilosos e assim atua no local onde estão concentrados os fungos. Além destes, ainda pode ser recomendado o uso de antibiótico, anti-inflamatórios e medicação de controlo de prurido (quando presente). Multivitamínicos para a pele podem auxiliar no processo de desinflamação da pele e torna-la mais integra e saudável impedindo a multiplicação dos fungos e progressão da doença.

Aliado ao tratamento do animal, deve estar uma boa higiene ambiental. Cama, escovas, coleiras, tapetes entre outros objetos devem ser devidamente higienizados a temperaturas superiores a 43ºC.

É de salientar que é um tratamento demorado, sem resultados visíveis de forma imediata, e as lesões nos primeiros dias podem até aumentar. É necessário paciência e consistência. Os animais afetados são fontes de contágio até 3 semanas após o início de tratamento, portanto todos os cuidados são poucos. Considera-se um animal curado quando temos dois a três resultados de cultura fúngica negativos, com intervalo de realização de 15 dias.

Prevenção da dermatofitose em cães e gatos

Algumas dicas para a prevenção do seu animal são:

  • Isolamento do animal afetado até que o tratamento esteja completo e o animal curado;
  • Uma boa higiene ambiental;
  • Evitar aglomerações de animais (principalmente quando não se sabe o estado físico dos mesmos);
  • Não usar indiscriminadamente antibióticos e antifúngicos com o risco de criar resistências;
  • Evitar stress desnecessário principalmente a gatos;
  • Especial atenção com animais imunodeprimidos ou portadores de doenças sistémicas, devendo ser reforçado o sistema imunitário.
Dermatofitose em cães e gatos

Artigos Relacionados

27 Maio 2021 Doenças Asma Felina
14 Outubro 2021 Doenças Zoonoses

Serviços de Veterinário em Casa

Serviços de SPA Sobre Rodas

Quero marcar um banho ou tosquia ao domicílio
Quero marcar um serviço de Creche Canina
Quero marcar uma consulta em Clínica

Conseguiram tratar da minha pequenina que tinha muito medo, e estando em casa está no seu habitat natural!

Fábio Teixeira
ver vídeo
Fábio Teixeira

Excelente consulta ! A gata precisava de ser vacinada e resolvi o meu problema !

Margarida Franco
ver vídeo
Margarida Franco

Onde atuamos

Oferecemos um serviço veterinário profissional para o seu animal de estimação, no seu ambiente natural: a sua própria casa.
Deslocamo-nos em toda a área de:

Grande Lisboa
Ericeira
Mafra
Margem Sul
Setúbal
Carregado
Samora Correia
Benavente
Grande Porto
Vila Nova de Gaia
Matosinhos
Maia
Póvoa de Varzim
Vila do Conde
Braga
Guimarães
Famalicão
Aveiro
Ovar
Oliveira de Azemeis
SJ Madeira
Lagos
Portimão
Silves
Armação de Pera
Albufeira
Quarteira
Loulé
Faro
Olhão
São Brás de Alportel
Tavira
Algoz
Veterinário ao Domicílio

Fale connosco, nós vamos até si!

Usufrua dos nossos serviços veterinários no conforto da sua casa. Conheça os nossos serviços e marque já!