Marque Connosco
Veterinários Sobre Rodas
Hipotiroidismo Canino

O que é Hipotiroidismo Canino?

A tiroide é uma glândula situada na região da traqueia, responsável pela secreção de hormonas, T3 e T4. A glândula tiroide é controlada pelo hipotálamo e hipófise (localizados no cérebro), sendo que esta última secreta uma hormona estimulante da tiroide (TSH).

As hormonas T3 e T4 são responsáveis pelos mais diversos metabolismos celulares atuando, por exemplo, na regulação do calor, no metabolismo dos lípidos, proteínas e carboidratos, no desenvolvimento fetal, na frequência e força da contração do músculo cardíaco, e na regulação de outras hormonas.

O hipotiroidismo é uma endocrinopatia resultante da secreção insuficiente das hormonas tiroideias (T3 e T4), sendo uma das patologias endócrinas mais frequente em cães, e rara em gatos. Esta enfermidade pode ser classificada quanto a sua origem:

  • Primário – destruição do tecido glandular da tiroide por tumores ou patologias autoimunes;
  • Secundário – falha na hormona TSH produzida na hipófise, alterações na hipófise ou no hipotálamo;
  • Iatrogénico – remoção cirúrgica da tiroide ou efeito secundário de drogas, tóxicos, radioterapia entre outros fatores.

Sendo esta glândula responsável por diversos metabolismos, os sinais clínicos são também variados. O hipotiroidismo não tem uma predisposição sexual, é mais frequente em animais de porte médio ou grande, e canídeos de meia-idade – 4 a 10 anos.

Algumas raças tem uma predisposição maior para a doença sendo alguns exemplos: Golden Retriever, Dobermann, Grand Danois, Beagle, Cocker Spaniel e Teckels. Não é uma doença transmitida entre animais, mas existe a possibilidade de ocorrer uma malformação genética na tiroide passada de progenitores para crias.

 

Sinais Clínicos Hipotiroidismo Canino

Como referido anteriormente, as manifestações clínicas podem ser diversas, porém o ganho de peso sem aumento da ingestão calórica é um sinal inicial e prevalente na maioria dos casos.

Além deste, outros sinais clínicos podem ser:

  • Letargia/prostração;
  • Intolerância ao exercício;
  • Bradicardia;
  • Alterações reprodutivas;
  • Alterações neurológicas;
  • Alterações dermatológicas: alopecias, pele seca, pústulas de pele, atraso no crescimento do pelo após tricotomia, entre outros.
Hipotiroidismo Canino

Diagnóstico Hipotiroidismo Canino

O diagnóstico definitivo da doença é feito através da medição sanguínea de T3 e T4 e da hormona produzida pela hipófise (TSH), anamnese e presença de sinais clínicos sugestivos. É também recomendável fazer umas análises sanguíneas gerais para descartar a presença de outras patologias e avaliar a condição física do animal. Outros exames complementares como uma ecografia a tiroide, um teste de estimulação com TSH, biopsia, radiografia podem ser requeridos.

 

Tratamento Hipotiroidismo Canino

Nos casos de hipotiroidismo primário (e secundário), não há um verdadeiro tratamento, mas sim uma regulação hormonal por administração de medicação durante toda a vida do animal. Esta medicação é doseada tendo em conta o peso do animal, e deve ser controlada inicialmente a cada 4 a 6 semanas, e se o nível de T3 e T4 estiverem normais o controlo vai sendo espaçado a um máximo de 1 vez por ano.

É necessário nestes tratamentos estarmos atentos a sinais de sobredosagem, que acontece quando a quantidade de medicação é excessiva e é causado um hipertiroidismo iatrogénico. Os sinais apresentados são perda de peso e aumento da ingestão de água, entre outros. Pode acontecer em qualquer altura mesmo o animal estando já controlado há muitos anos.

Sendo um caso de hipotiroidismo iatrogénico deve ser suspenso o tratamento/medicamento causador da diminuição da quantidade de hormonas. Em qualquer um dos casos, o animal deve ser devidamente acompanhado pelo médico veterinário.

 

Prevenção Hipotiroidismo Canino

Não existe uma forma de prevenir o hipotiroidismo primário e secundário, mas o iatrogénico pode ser evitado pelo controlo dos valores de tiroide nos casos em que os animais tomam medicações que podem originar a doença. A não administração de fármacos sem aconselhamento médico-veterinário é também uma forma de não provocar a doença.

Reconhece estes sintomas?

Ficou com dúvidas e quem um check-up? Ligue para nós! Vamos até ao conforto de sua casa!

Marque uma consulta!

Artigos Relacionados

9 Setembro 2021 Doenças Pênfigos Foliáceo

Serviços de Veterinário em Casa

Serviços de SPA Sobre Rodas

Quero marcar um banho ou tosquia ao domicílio
Quero marcar um serviço de Creche Canina
Quero marcar uma consulta em Clínica

Conseguiram tratar da minha pequenina que tinha muito medo, e estando em casa está no seu habitat natural!

Fábio Teixeira
ver vídeo
Fábio Teixeira

Excelente consulta ! A gata precisava de ser vacinada e resolvi o meu problema !

Margarida Franco
ver vídeo
Margarida Franco

Onde atuamos

Oferecemos um serviço veterinário profissional para o seu animal de estimação, no seu ambiente natural: a sua própria casa.
Deslocamo-nos em toda a área de:

Grande Lisboa
Ericeira
Mafra
Margem Sul
Setúbal
Carregado
Samora Correia
Benavente
Grande Porto
Vila Nova de Gaia
Matosinhos
Maia
Póvoa de Varzim
Vila do Conde
Braga
Guimarães
Famalicão
Aveiro
Ovar
Oliveira de Azemeis
SJ Madeira
Lagos
Portimão
Silves
Armação de Pera
Albufeira
Quarteira
Loulé
Faro
Olhão
São Brás de Alportel
Tavira
Algoz
Veterinário ao Domicílio

Fale connosco, nós vamos até si!

Usufrua dos nossos serviços veterinários no conforto da sua casa. Conheça os nossos serviços e marque já!