A raiva canina é uma doença viral zoonótica, fatal na maioria dos casos. A vacinação da raiva ou vacinação antirrábica é obrigatória em cães em Portugal desde 1925, e constitui a medida de prevenção mais importante contra a doença da raiva.

O que é a raiva canina?

A raiva canina é uma doença viral que afeta o sistema nervoso central. Todos os mamiferos, incluindo os humanos podem ser infetados com o vírus da raiva. Quando os sinais clínicos aparecem a raiva é fatal praticamente 100% dos casos.

 

Virus da raiva

O vírus da raiva é um vírus pertencente à família Rhabdovidriae. O vírus da raiva é o vírus mais mortal conhecido.

 

Tipos de raiva canina

A raiva canina manifesta-se em três fases distintas, vulgarmente denominadas por tipos de raiva. As principais características de cada fase são:

 

Fase prodrómica (duração entre 1 a 3 dias)

  • Sem sintomatologia específica
  • Alterações comportamentais tais como sonolência, agitação, reação exagerada a ruídos, fobia à luz, perda de “medo”
  • Micção frequente
  • Sem alterações do estado geral

 

Fase de excitação (duração entre 3 a 4 dias)

  • Agitação e agressividade extrema
  • Comichão no local da mordedura
  • Perda de “medo”
  • Dilatação das pupilas
  • Ingere objetos pouco comuns
  • Grande sensibilidade aos ruídos

 

Fase de paralisia (duração entre 2 a 4 dias)

  • Paralisia muscular
  • Incapacidade em deglutir
  • Produção excessiva de saliva
  • Mandibula caída
  • Uivos
  • Morte por paralisia dos músculos respiratórios
Raiva Canina

Transmissão da raiva canina

A transmissão da raiva canina ocorre, maioritariamente, através da mordedura de um animal infetado, com a consequente inoculação de secreções salivares contendo o vírus.

 

Portadores de raiva

Quando se pensa em raiva doença, os cães são os reservatórios mais importantes. Contudo muitos outros animais podem ser portadores do vírus da raiva, como é o caso dos gatos, das raposas e dos morcegos.

De uma forma genérica, podemos assumir que as aves e os répteis são os únicos animais que não são infetados por este vírus.

 

Raiva em animais

Tal como anteriormente mencionado, os únicos animais que não têm raiva são as aves e os répteis, todos os outros são suscetíveis de desenvolver um quadro neurológico fatal. Os sinais clínicos podem ser bastante variáveis e atípicos.

No caso particular dos cães, os sintomas da raiva canina podem ser facilmente confundidos com os sintomas da esgana. Os sintomas inespecíficos incluem inquietação, perda de apetite, dificuldade em comer, vomito e diarreia.

Após um período neurológico agudo seguido de um estado de doença inespecífico, que dura um a dois dias, os animais podem apresentar problemas de equilíbrio, agressividade excessiva, salivação, incoordenação motora, automutilação, entre outros. No caso dos animais silváticos, como é o caso das raposas, estes podem tornar-se “estranhamente” sociáveis.

 

Raiva humana

A raiva humana está presente em todos os continentes, com exceção da antártica. Contudo mais de 99% das mortes devido a esta doença ocorrem na Ásia, África e América do Sul.

A raiva em humanos é sucedida, na maior parte dos casos, à mordida de um cão com raiva, sendo maioritariamente fatal aquando da ocorrência de sinais clínicos. O período de incubação da raiva humana é tipicamente de 2 a 3 meses, podendo variar ente 1 semana a 1 ano.

Raiva sintomas… Quer saber mais?  Pois bem, de uma forma sucinta os sintomas iniciais da raiva incluem febre associada a uma sensação de formigueiro ou queimação no local da mordida. À medida que o vírus se espalha pelo sistema nervoso central, este desencadeia uma resposta inflamatória progressiva e fatal dando origem a sinais clínicos de ordem diversa, como é o caso dos sinais de hiperexcitabilidade.

 

Raiva em Portugal

O último caso autóctone de raiva em Portugal foi registado em 1960. Atualmente, Portugal é considerado um país indemne de raiva. De forma a mantermos tal estatuto epidemiológico é fulcral continuar a incluir a vacina da raiva ou vacina antirrábica nos protocolos vacinais dos nossos animais de companhia.

 

Dia mundial contra a raiva

O dia mundial contra a raiva é celebrado anualmente no dia 28 de setembro, e constitui um marco importante para a prevenção desta doença, promovendo a sensibilização das comunidades e das entidades governamentais.

Esta iniciativa partilha a ambição de diferentes organizações mundiais, como é o caso Organização Mundial de Saúde, que consiste em registar zero mortes humanas por raiva até o ano de 2030. 

área de actuação

Oferecemos um serviço veterinário profissional para o seu animal de estimação, no seu ambiente natural: a sua própria casa. Deslocamo-nos em toda a área de :

Lisboa
Lisboa

Grande Lisboa , Ericeira , Mafra, Margem Sul e Setúbal

Porto
Porto

Grande Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia, Póvoa de Varzim e Vila do Conde

geral@vetsobrerodas.pt 917002923
marcar consulta online